Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desde 1 de Janeiro de 2008.

iamcarmen

Desde 1 de Janeiro de 2008.

Inocente VS Playboy - Capitulo 12

por iamcarmen, em 09.06.14

 

Eu sei que ando a falhar muitos dias de post e peço desculpa por isso. Mas não só me falta tempo como também estou a tentar voltar a escrever coisas novas, coisa que não tem acontecido nos últimos tempos. Mas estou a me esforçar. =)

Fica Bem.

 

 

12º

Assim que Tom avistou Bill a sair da Universidade sua mente parecia ter ficado a negro, tudo o que ele desejava era esmurrar aquele rapaz. Tina e Fabian acompanhavam Bill mas uma vez que seus caminhos se separavam no final da rua principal, o moreno seguiu sozinho o seu caminho. O surgimento abrupto de Tom à sua frente sobressaltou-o mas o modo feroz com que o mais velho o olhava era mais assustador.

- Eu avisei-te seu monte de sheisse. Cabrão de meia tigela. – Tom praticamente lhe gritou.

- Que…hum..desculpa? – Bill falou confuso mas não obteve resposta ou tempo de pensar em algo mais para dizer. Tom precipitou-se para si e logo fez bem questão de esmurrar agressivamente o moreno; Bill cambaleou e logo recebeu um novo soco de Tom, seu lábio rebentou e sangue escorreu até ao seu queixo, o irmão de Jane voltou a atacar sem deixar o mais novo recuperar do anterior golpe e o olho esquerdo do moreno obrigou-se a ficar fechado devido ao embate.

- Enlouqueceste! – Bill gritou de volta. Tom pontapeou-o e o rapaz acabou por ir ao encontro do chão. A raiva havia tomado posse do de cabelo entrançado e logo que Bill se tentou erguer, Tom agarrou-o violentamente pelo colarinho.

- Como foste capaz de fazer o que fizeste à minha irmã, desgraçado? – Tom bradou

- Mas do que estás a falar, Tom? – questionou ainda mais surpreendido.

- Desgraçado! Eu avisei com antecedência. Avisei que te partia a cara fizesses algo. – apertou mais o colarinho do mais novo.

Alguém correu para aqueles dois rapazes e logo a sua vista desfocada, Bill viu Gabi a surgir e logo agarrar Tom pelos ombros.

- Pelo amor de quem queiras, Tom…solta o Bill! – ela gritou nervosa – Por favor. - pediu

- Este filho da mãe não escapar! – moveu os ombros de modo a afastar a rapariga de si mas Gabi insistiu, iria magoar-se mas ela tinha que impedir que aquilo piorasse. Puxou-o com brusquidão e só assim Tom soltou o colarinho da blusa do moreno, este aproveitou para se elevar – Solta-me! – gritou para a rapariga.

- Não foi o Bill quem bateu em Jane! – Gabi gritou desesperada

- O quê? – ambos os rapazes falaram

- O Bill não é culpado de nada… - ela falou num suspiro

- O que aconteceu? – Bill perguntou irritado antes de cuspir algum sangue que do canto do seu lábio escorria. Tom silenciara-se e apenas encarava Gabi, ela esforçava-se para não falar demasiado.

 - Tom. – falou ela enquanto o encarou de volta – Não foi o Bill. Pede desculpas. – apressou-se por dizer.

Tom sabia que Gabi sabia mais do que contava mas visto que o assunto era com Jane, com ela seria a conversa; voltou costas aqueles dois e apressou-se a ir embora, ainda visivelmente furioso. Gabi prontificou-se a segui-lo mas Bill impediu-lhe passagem; fez uma careta ao ver o estado do moreno mas nada falou.

- O que aconteceu com a Jane? - questionou

- Amh… - baixou o olhar – um tipo tentou violá-la. – Bill empalideceu assim que ouviu a rapariga falar aquilo – Jane debateu-se e o tipo acabou por a magoar e atirá-la contra o chão…e é isso. – respirou fundo.

- Quem foi, Gabi? – perguntou irritado

- E..Eu não sei. – recuou e contornou o moreno.

- Achas-me estúpido, Gabi? – segurou-a pelo braço, ela olhou-o preocupada – Achas que vou acreditar nisso? – soltou o braço da jovem – Quem? - repetiu

- Se ela quiser contar-te…ela irá. Eu apenas… - perdeu coragem e correu para longe de Bill.

*

Jane estava pálida e seu corpo tremelicava, acabou por descair sobre a sua cama – Tu o quê? – inquiriu ao irmão

- Ele já te magoou. – Tom resmungou de braços cruzados ao peito.

- Óh Tom à mais de um mês que eu e o Bill estamos a nos dar bem, temos nos tornado amigos. – desesperou e procurou apoio na sua melhor amiga.

- E nem foste nada bruto nem nada. – Gabi falou com imenso sarcasmo.

- Vocês quem deviam ter avisado logo. – Tom defendeu-se

- Tu saíste daqui que nem um raio! – Jane protestou – Óh Deus… - descaiu para trás, acabando deitada.

- Quase que o matavas à porrada, Tom. – Gabi atirou ao irmão da sua melhor amiga.

- Só as merecia. - resmungou

- Vai imediatamente pedir desculpa ao Bill. – Jane ordenou-lhe e o rapaz nada falou apenas olhava Gabi como duvidando da sanidade da sua irmã.

- Claro, até porque o teu irmão facilmente é convencido por ti. – Gabi rematou e desviou o olhar do rapaz em questão.

- Quem te fez isso? – Tom perguntou então; Jane voltou a se sentar na cama e pareceu selar seus lábios. Se com uma ideia dele ele quase havia morto Bill com murros…se ele soubesse que o culpado era Rick, então Tom iria comprar uma arma e mandar tiro directo à cabeça do outro.

- Não…sei. – acabou por mentir para o irmão.

- Espero que não leve muito tempo até decidires por ti mesma que o culpado tem que ser punido. Claramente sabes quem foi e claramente estás a ser estúpida em te silenciar. – recuou – Mentir nunca será o teu forte. – saiu do quarto.

- Porquê? – foi tudo o que Gabi quis saber assim que Tom foi embora

- O meu irmão matá-lo-ia na hora e no final era preso, sabes. – falou com pouca vontade

- Tens que falar a verdade. Não podes simplesmente ficar calada. – Jane não lhe respondeu – Agora…desgraçado do Bill. – recordou o estado em que Tom deixara o moreno.

- Por favor…não me martirizes mais, Gabi. – acabou por responder tristonha.

*

Havia passado três dias desde o acontecido com Jane e por consequência, com Bill. O rapaz havia tentar, incontáveis vezes, contactar Jane, havia mesmo esperado por ela à porta de sua casa mas a rapariga parecia ter-se fechado no seu quarto e nem as cortinas da varanda desde surgia corridas. Bill por seu lado andava com o olho esquerdo negro, lábio rebentado e um fantástico exemplar da forma da perna de Tom no seu tronco.

- Que…foda-se. – Fabian não conseguia deixar de fazer caretas ao ver a violência com que Bill fora atacado.

- Que besta. – Miguel murmurou

- Ele só agiu. – Bill acabava por defender Tom, não fosse ele mesmo pensar que faria exactamente o mesmo em seu lugar.

- Mas…já se sabe quem foi o verdadeiro culpado? – Fabian voltou a falar.

- Não. – Bill responder com um esgar e inclusive apertou seus punhos de irritação – Jane ainda nem apareceu à luz do dia. – fungou e sentou-se comodamente naquele banco de jardim.

- Ah, melhor esquecer. – Miguel disse sorridente

- Óh… - Bill falou com alguma raiva exposta em sua voz – não esqueço nem morto. Quem irá partir a cara ou corpo todo do tipo que tentou apanhar a Jane, serei eu. E Deus me perdoe dos estragos que pretendo causar. – nenhum dos amigos respondeu, apenas entreolharam-se assustados com a decisão do seu “líder” de grupo.

Rick moveu-se desconfortavelmente no lugar que ocupava; ver como Bill cerrava seus punhos, fazendo mesmo as veias das mãos destacarem-se da irritação e seus nós brancos ficarem, assustava Rick; muitos anos lidava com aquele moreno, sabia que Bill possesso de raiva era algo que ninguém queria testemunhar pessoalmente e muito menos querer estar na pele do “alvo”, o moreno podia se tornar extremamente violento e com toda aquela raiva contida….era realmente possível ele partir o corpo todo de alguém; de Rick no caso.

- Bem… - Miguel respirou fundo e elevou-se do banco – eu tenho algo como um encontro escaldante, marcado. – brincou. Fabian pareceu recordar de algo ao ouvir o amigo.

- É verdade! – Fabian encarou Bill – E a aposta? Continua firme? – provocou. Bill havia esquecido completamente aquela maldita aposta.

- Não. – o moreno respondeu prontamente

- O quê? – Fabian esbugalhara seus olhos

- Eu desisto. – concluiu

- Fraco. – Fabian voltava a provoca-lo; Bill girou ligeiramente o seu tronco e encarou-o com muita má vontade, o rapaz engoliu em seco.

- Não sou fraco. Simplesmente não vou e nem quero continuar com isso. – informou-os.

- Desculpa? – Fabian voltou a se meter – Recusas uma sessão louca de sexo com a Tina e 150€ por culpa da “menina de cristal”. – riu-se – Enlouqueceste.

- Não me provoques Fabian, os meus nervos andam inconstantes e se eu decido começar a relaxar e treinar para matar alguém, começo por ti. Por isso… - semicerrou seus olhos – não me irrites.

- Nunca imaginei que a “menina de cristal” de acalma-se. – Fabian ainda testou a paciência de Bill mas como este não pretendia esmurrá-lo até o deixar inconsciente, resolveu ir embora sem nada mais falar.

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D