Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desde 1 de Janeiro de 2008.

iamcarmen

Desde 1 de Janeiro de 2008.

Inocente VS Playboy - Capitulo 25 - Fim

por iamcarmen, em 30.09.14

Olá!

Desculpa a demora mas eu voltei, estou cá...com alguns atrasos na questão de post mas como não tenho escrito ou reeditado nada, torna-se complicado esgotar logo o que ainda tenho para tu leres. =P

Hoje deixo-te o final da fanfiction Inocente VS Playboy.

Muito obrigada a ti que leste e mais ainda a ti que comentas também. Obrigada.

Quanto a nova fic...fica atenta que eu depois publico, só ainda não escolhi qual. ah ah

 

 


 

 

25º

Uma noite na esquadra da Policia, foi o preço a pagar por Bill e Fabian depois de alguns alunos terem alertado sobre o que acontecia próximo do recinto escolar. Rick ficara bastante magoado e a sua noite ficou pelo Hospital; quando Tom soube da verdade através de Bill, tentou ir ao encontro do agressor mas foi impedido e então decidiu pagar a fiança do seu vizinho moreno e logo apresentar queixa de Rick. Jane havia adquirido coragem e apos confirmar tudo à família, formalizou a queixa de tentativa de violação.

Dois dias haviam passado e Bill não descansava, não enquanto não conseguisse saber de Jane, que voltara a fazer de tudo para o evitar.
Tocava que nem um louco à campainha da porta de casa dos vizinho, a mãe de Tom e Jane veio em alerta abri-la. – Olá! Que se passa? – a mulher questionou ofegante depois da corrida até ali.

- Eu peço imensa desculpa mas eu realmente tenho que falar com a Jane. – o rapaz informou confiante. O suspiro da parte da mulher não anunciou grande esperança.

- Se conseguires, Bill. – falou baixo – abriu-lhe caminho para que entrasse – Depois de nos dizer o que se passou e de ir falar com a Policia, ninguém conseguiu mais falar com ela.

Com uma rapidez assustadora o rapaz saltou pelas escadas até ao primeiro andar e chegou junto da porta do quarto da rapariga, podia distinguir o som do seu choro; tocou suavemente na porta e logo entrou.
De olhos vermelhos e banhados em lagrimas Jane encarou mas para logo depois de voltar cara – Saí daqui! – gritou irritada.

- Fala comigo Jane. – ele pediu e aproximou-se mas a rapariga reagiu com medo e afastou-se de si – Que se passa? – perguntou com a máxima de calma que conseguia naquele momento e vendo a rapariga que tanto adora naquele estado.

- Saí daqui! Imediatamente! – ela gritou ainda mais irritada para o moreno e Bill revelou-se realmente surpreendido com a sua atitude. Respirou fundo e cruzou os braços ao peito, encarando a rapariga com gravidade.

- Não vou sair daqui enquanto não me explicares porque me andas, novamente, a me evitar. O pior de tudo Jane é que fizeste questão de demonstrar que não estamos mais juntos e eu devo ser o único que não sabe a razão. – falou aborrecido.

- Saí imediatamente daqui! – ela voltou a gritar – Vai buscar o premio da tua aposta e não te atrevas a voltar a me dirigir a palavra. – ao ouvir aquilo o rapaz empalideceu e por momentos ficou boquiaberto.

- …quê… - murmurou confuso.

- A tua aposta com o Fabian. – recordou-lhe ela – Seduzires-me, levares-me para a cama e depois voltavas à tua maravilhosa vida como se nada tivesse sido contigo. – quase rosnou suas palavras.

- Como é que… - começou por falar e a rapariga voltou a irromper em lagrimas

- Saí. – falou mais calma e de voz toldada pelo choro.

- Sim, é verdade. – ele decidiu confessar – Essa aposta foi feita mas eu desisti dela quando percebi que és especial para mim. – da parte dela só havia silencio e lagrimas a escorrer pelo seu rosto – Esta é a verdade, Jane… - inspirou fundo – apostei isso sim, estava armado em playboy tal como o era, no inicio de tudo entre nós. Eu desisti dessa aposta bastante depressa, tudo havia mudado, eu havia mudado Jane. Apaixonei-me por ti, abdiquei daquilo que era e do que tinha, abdiquei daquelas loucuras que faziam parte do meu dia-a-dia – deu uma gargalhada sarcástica – Afastei e ignorei totalmente mais de quinze raparigas, por ti…eu mudei totalmente e só conseguia estar feliz contigo. Por te amar, amar-te perdidamente e só te ver a ti. Desisti de tudo isso assim que vi o quão especial eras para mim e posso afirmar sobre tudo o que é de importante na minha vida que eu desisti dessa aposta muito antes de pensar sequer em ter relações contigo. Eu amo-te.

Mantinha-se silenciosa, as lagrimas haviam cessado; tudo parecia esclarecer-se na sua mente e o arrependimento alcançou-a. Sentia avidamente que aquela era a verdade. – Eu pensei… - murmurou.

- Eu amo-te Jane. – disse e aproximou-se novamente dela – Achas mesmo que se eu ainda estivesse nessa estupida aposta que ainda andava contigo? Bem, isto antes de me teres deixado. – suspirou.

- Bill…eu… - fungou. Olharam-se profundamente e Jane podia perceber o quanto aquele rapaz pedia pelo seu perdão e inclusive ajoelhou-se na sua frente.

- Perdoa-me. – pediu – Aquela aposta foi um terrível erro, desisti dela muito antes de nos envolvermos a sério.
Limpou bruscamente suas lagrimas e escorregou até cair no colo do rapaz e tomou ela a iniciativa de o beijar com ternura.

- Amo-te. – confessou-lhe e então o casal abraçou-se.

Inesperadamente foi Jane quem passou suas mãos para debaixo da blusa do rapaz, fazendo-as deslizarem pela sua barriga. Trocavam beijos apaixonados e já com aquele toque de erotismo; optou por livrar o rapaz da blusa que este usava, Bill mostrou-se surpreendido e igualmente preocupado. – Não te preocupes. – falou próximo dos lábios dele – Eu estou bem, contigo ao meu lado…eu estou realmente bem, Bill. – sorriu.

Começou a se elevar do chão, deixando assim de estar ajoelhado e carregando a namorada a seu colo; beijos passou a depositar no delicado pescoço dela, fez a língua deslizar e então Jane voltou a ficar sentada sobre a sua cama. Com carinho o rapaz desproveu-a da blusa e não tardou a ela lhe seguir exemplo

Cobriu cautelosamente o corpo da rapariga com o seu, fez seus lábios deslizarem desde o pescoço até os seios de Jane; um rasto quente e sensual ele deixava ao longo do seu corpo, fazendo-a arrepiar-se e desejar por mais. Enquanto que ela se sentia mais quente e atordoada por aquela “onda” de amor, Bill deslizou a ponta dos seus dedos pela sua barriga até alcançar o botão de seus calças, passando assim a desprove-la de mais uma peça de roupa.
Não conseguia parar de a beijar e tocar, ansiava pela namorada e ainda mais agora que sabia o quanto, realmente, a ama.

Jane também havia ganho forças e habilidade, antes que o rapaz pensa-se em desprove-la das peças de roupa interior, já ele mesmo ficava nu perante si. Sorriu maroto e não conteve mostrar a sua surpresa. Sorriu abertamente e voltou a se juntar a ele, beijaram-se avidamente; susteve por segundos a sua respiração quando ela igualmente ficou desprovida de qualquer peça de roupa em seu corpo.

A maior surpresa surgiu quando Jane optou por ser ela mesma quem iria passar para o topo da posição; apertou-lhe a cintura com suas pernas, debruçou-se e ela quem agora deixava um rasto quente de beijos e caricias ao longo do corpo do moreno. Gemeu suavemente quando suas costas passaram a ser alvo das caricias das mãos do seu namorado; procuram seus lábios e voltaram a se entregar aqueles beijos fogosos.

Deslizou um pouco pelo corpo dele a fim de lhe permitir que se prevenisse e então voltou a seduzir Bill com beijos e toques insinuantes.
Segurou-a pela cintura e então a rapariga começou a se sentar sobre si, fazendo-o penetra-la devagar; contorceu-se vagamente pois parecia que o seu interior ficava mais pequeno daquele modo – Jane. – ele falou suavemente ao que ela lhe sorriu e relaxou o máximo possível e a um ritmo ascendente movimentos de cavalgar ela desenvolveu.

Admirava-se com sua resistência, ainda para mais quando ela não tinha assim tanta experiencia já adquirida desde que se entregara ao relacionamento físico, mas sentia-se orgulhosa de si mesma, sabia bem e tinha noção que Bill estava realmente a gostar.
Ficou tensa subitamente para logo relaxar de seguida, cerrou seus dentes para evitar soltar um grito de prazer e arranhou inconscientemente os braços do namorado; soltou um longo suspiro e descaiu sobre o peito dele.
Bill fez seus corpos girarem novamente sobre a cama e logo tomou nova liderança; Jane apertava suas mãos contra as costas dele, contendo os gemidos elevados de prazer. Suas costas curvaram-se e fechou seus olhos – Ich liebe dich. – falou contra sua orelha e Bill guardou as palavras em seu coração.

Ofegaram e seus ritmos foram acalmando a pouco e pouco; aconchegou-se contra o corpo do rapaz e suspirou – Amo-te. – ele sussurrou e ela sorriu.

 

Tudo voltava ao seu ritmo normal, depois de prestação de queixa da parte de Jane e com o forte apoio de Tom e Bill, Rick fora formalmente acusado. A irmã de Tom não demonstrava mais medo de uma possível vingança ou surgimento de um defensor daquele que a tentara violar, até porque Bill tornara-se um namorado atencioso e sempre disposto a dar o seu melhor.

Viu-se obrigada a embater suavemente contra a porta daquele quarto, humedeceu seus lábios inconscientemente e focou-se naqueles olhos castanho avelã – Sabes eu só vim pedir ovos à vizinha. – comentou divertida. Bill riu-se.

- Mas a tua vizinha não está, por isso… - aproximou seus lábios dos dela – a ideia agora é ficares a fazer companhia ao teu namorado, liebe. – piscou-lhe o olho

- Payboy! – acusou-o divertida

- Inocente! – ripostou-lhe

 

- Portanto eu ando numa cena complicada ou estranha com o teu irmão. – Gabi constatava enquanto ajudava a sua melhor amiga a arrumar algumas coisas em seu quarto – Tu namoras à coisa de… - semicerrou os olhos – um ano com o Bill? – procurou confirmação no olhar da amiga, esta assentiu positivamente – Estamos bem. – concluiu animada.

- Bastante bem eu acho. – Jane disse depois

- Já agora… - olhou a porta do quarto – onde foram aqueles gajos bons? – suspirou. Jane encolheu os ombros em sinal de desconhecimento da resposta – Estou com saudades do tranças. – espreguiçou-se.

- Suponho que ele não deva demorar. – dito isto alguém tocou na porta do seu quarto, um toque personalizado, de certo modo. As raparigas entreolharam-se e riram – Entra. – falou e então Bill surgiu.

- Então é por aqui que estão. – gargalhou e logo foi junto da namorada, beijando-a com carinho e sorrindo-lhe por fim.

- E o Tom? – Gabi quis saber e o rapaz sorriu ainda mais

- Acho que ele foi para o seu quar… - Gabi saiu a quase velocidade luz dali, nem deixando Bill terminar de falar “quarto”.

- Cambada de tarados. – Jane brincou

- Hum… - apertou-a contra si e iniciou diversos beijos.

- Bill… - gemeu seu nome quando os lábios dele tocaram seu pescoço – isso arrepia. – tremelicou contra o corpo masculino.

- Tu até gostas. – disse contra sua pele e a rapariga julgou que iria derreter de excitação. Continuaram abraçados a entregar beijos à vez; com carinho o rapaz segurava a mão direita de Jane e de surpresa algo frio tocou seu dedo anelar.

Recuou curiosa e olhou a sua mão – Espero que gostes da nossa prenda de um ano de namoro. – Bill murmurou timidamente, coisa que era muito estranha da parte daquele rapaz.
Uma aliança de namoro simples mas atraente o suficiente em ouro branco brilhava, agora, no dedo dela. – Óh Bill… - corou imenso perante aquilo. Ele elevou sua mão direita, revelando-lhe que também já fazia uso da sua aliança.

- Ok eu não sou bom de coisas de romance e por aí afins mas… - respirou fundo – aceitas estas prenda? – humedeceu os lábios.

- Liebe, é claro. – abraçou-o novamente – Amo-te. Obrigada. – falou baixinho.

- Obrigado eu. – aconchegou-a mais contra si – Obrigado por tudo. Por me teres tornado uma pessoa melhor.

 

FIM

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D