Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desde 1 de Janeiro de 2008.

iamcarmen

Desde 1 de Janeiro de 2008.

Vingança - Capitulo 18

por iamcarmen, em 11.01.15

 

18º Capitulo
Gemeu quando começou a sentir os lábios de Tom a deslizarem pelo seu peito, arrepiando-a com o toque do piercing e excitando-a mais um pouco.
- Vamos mesmo ter que parar com isto. – ela disse divertida. – Estivemos nisto a tarde completa, Tomy. – abriu os olhos e ver a ternura com que era olhada por aquele rapaz, fê-la arrepiar-se de novo.
- Depois eu é que era o insaciável. – ele falou com pura diversão
- Jogámos alto nas provocações. O resultado só poderia ser alto. – foi beijada
- Consegues então acreditar que…a tua ausência neste tempo todo só confirmou que havia algo mais do apenas amizade.
- Continua a ser difícil de acreditar.
- Sei que não adoptei a melhor actuação contigo antes…mas agora…não dá mais, Aria. Tu estás a me deixar louco. – foi a vez dela de o beijar.
- Não te preocupes que não vou desaparecer de novo. – tranquilizou-o – Poderei fazer missões por fora mas…pretendo sempre regressar.
- E vais. Porque tu…tens que voltar para mim. – beijou-a mais uma vez
- Quero ver até onde a tua fidelidade pode ir. – gozou
- Muita piada. – ela afastou o corpo do seu, ele resmungou – Porquê?
- Porque é hora de jantar e caso não saibas eu informo-te, Tomy. Preciso de comer alguma coisa antes que fique totalmente carenciada de forçar. – ele sorriu-lhe. Era estranho ser alvo daquele amoroso olhar de Tom, sentir aquela paixão crescente vinda dele e acima de tudo aperceber-se que não havia ali mentira á cerca daquilo que o rapaz estava a sentir.
+++
Aparentemente, Tom não poderia dar a entender que algo o deixava de “cabeça no ar”, e acima de tudo não poderia demonstrar que era culpa de Aria ou Shay que tal acontecia; o mal ali era que estava a ser uma missão impossível ele não deixar de olhar aquela loira de outro modo.
- Passou-se alguma cena entre ti e a Shay? – Thomas perguntou
- Alguma cena… - Tom repetiu e deixou por fim de olhar a bela imagem do rabo de Aria, que se encontrava mais á frente do local onde ele estava – Porque perguntas?
- Notavelmente não deixas de a olhar e pelo modo como a olhas… - começou por falar
- Não vou comentar nada a cerca da minha vida pessoal, sabes. – falou de repente com diversão
- Sim, claro. – Thomas riu-se – Lembra-te que trabalham juntos…de momento. E sorte ela ser da Interpol, senão irias atravessar problemas sérios pelo facto de te envolveres pessoalmente com a loira.
- Já repares-te bem a minha sorte. – Tom falou num tom muito irónico; o seu colega de trabalho revirou os olhos e nada disse.
Aria falava com alguém ao telemóvel, do nada encarou Tom e fixou olhar com ele; desligou a chamada e caminhou rapidamente para junto do ex-colega.
- Reúne a tua equipa, Tom. – ela disse num tom ordenador – Krunt revelou-se. – sorriu e aproximou-me perigosamente do rapaz – Chegou a Vingança. – anunciou perto o suficiente dos lábios dele; Tom riu-se e apanhou logo a sua arma, colocou-a no coldre e fez sinal a Thomas.
+++
- Esta é a revelação do Krunt? – Thomas falava chocado – Isto? – apontou o café onde Shay aguardava por uma nova dica do informador da Interpol – Reunimos a equipa para quê? – olhou de modo inquisidor para Tom, este continuava encostado a um jipe que estava estacionado a cerca de 40m do café, parecia fechado nos seus próprios pensamentos e devido aos óculos de sol que tinha colocados, Thomas e o outro colega de equipa não conseguiam distinguir a feição do rapaz de cabelo entrançado.
Toda a equipa envolvida na missão de captura de Krunt aguardavam as ordens de Tom e também esperavam pela dita “revelação” daquele rei do crime. Subitamente algo rebentou no interior do café, Tom sobressaltou-se e levou logo a mão á sua arma, Thomas comunicou algo aos agentes que estavam mais próximos; a terceira agente da policia que estava ali correu atrás de Tom até ao café. Uma pequena mesa redonda embateu na montra, estilhaçando todo o vidro, por pouco a agente feminina não era apanhada por aquele lançamento.
- Mas… - antes que Tom continuasse a falar, fortes labaredas impediam a saída dos clientes do café. – Thomas! – gritou-lhe
- Os bombeiros vem a caminho…o… - calou-se subitamente ao ver uma nova mesa atravessar a montra. Aria saltou do interior, fez uma cambalhota pelo chão e rapidamente se elevou; os clientes começaram a sair também através da montra, gritos ouviam-se.
- Que raio se passou? – Tom exigiu saber, Aria olhou-o rapidamente e nada falou. – Shay! – elevou o tom da sua voz. A rapariga lançou a mão á sua lombar e retirou a sua arma do coldre, passou uma rasteira a Tom e disparou um único tiro, algures uma mulher gritou de modo estridente e depois viu-se um corpo cair inanimado no chão. – Mas…
- Tom! – alguém gritou – Cuidado! Cuidado! – tanto ele como Aria mal se deram conta do que aconteceu a seguir aos gritos de aviso. Algo o fez perder os sentidos.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D